quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Cores furtivas

Por onde andam as cores?
Todas estavam tão intensas a minha volta.
Como um vento se foram.
O olhar procura uma razão para o peito.
Não há negociação, apenas negação.
E os passos desnorteados prosseguem seus caminhos.
E viver é obrigação, pois a graça ficou por ali.
E o que fazer?            
Num mundo sem cores, fechamos os olhos para não vermos os tons de cinza.
E ficam só lembranças e sensações de tão maravilhosas que malditas.
E se sangra sem voz...

D'Alimar

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Com Minha Liberdade

A pena jogada sobre a mesa
Papel borrado por tintas de vazio que assusta
Despertada por ventos suaves, nuâncias de sentimentos esquecidos, desconsertantes
Trêmula, escreve em talvez, em despertar de cores diversas
Escreve em gritos tão silenciosos
Dizendo sem querer dizer
Que o encanto, o olhar, a meiguice, o cheiro, a pele desconsertou
Devolveu vida
Tocou sonhos
E que se escreva
E que se não esqueça
E que seja vida
E que seja

(D'Alimar)

quarta-feira, 27 de março de 2013

Mira Ela


Meu caro,
Eu mirei certamente...
Eu mirei para ela.
Eu mirei ela.
E até com letras a mais,
Eu amei Mirar Ela.
Mirei Ela!
Eu errei.

D'Alimar

Alento

A taça vazia de vinho, pois brindei aos céus.
Mas minha cabeça queria o teu colo.
Onde teu fôlego quente tem sons
E cheiros que despertam amor.

EntreLaços

Em noite quente
E pele dourada
E pelos ouriçados...
cheirosos.
Entre néctares de amor , cheiro de corpos.
Sabor, sabor de tua boca.
Entre suores e pernas.
Amor feito.
Efeito de alma.
Delírio.

D'Alimar

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Titu Beia


Há uma coisa com as mãos que não encontram seu lugar.
Há uma coisa com o coração que acelera.
Há uma coisa com o rosto que se ruboriza.
Há uma coisa com as pernas que perdem o compasso.
Há algo que faz esperar aquela hora.
A gente gosta tanto.

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Inexistente tão breve

Eu amei...
Eu sinto isso tão forte e vibrante, e tão serenamente.
Cativei-me em poucos momentos de tua pele e de teus lábios.
Eu amei...
Ainda sinto teu gosto e cheiro.
Eu amei, eu sei.
Até agora sinto-me pleno, tão cheio de vida.
Tua marca, tua presença sentida e almejada.
Mesmo sem ti, eu amei...
Eu amei, eu sei, pois ainda amo.
Amo, hoje, com olhos lacrimosos.
Eu amei, sei disso.